Resenha 88 | O Bairro da Cripta – As Elegias (Tomo I)

em 8.5.15
Título: O Bairro da Cripta – As Elegias (Tomo I)
Autor [parceiro]: Marcos R. Terci
Editora: LP-Books (2014, 168 páginas)
Sinopse: Cá, em Tebraria, a oeste do preguiçoso Mogi, o peregrino viu, finalmente, Seu rosto esculpido em pedra escura. Era tarde e o desejo de todas as coisas vivas é se esconder daquela escuridão. Mas, é sempre treva no Bairro da Cripta.

Elegias é o primeiro tomo da pentalogia do Bairro da Cripta. Composta por 24 contos que colocam os clássicos do terror universal sob a luz dos lampiões de querosene dos sertões paulistas do século XIX.
Strigois que se alimentam de vitalidade humana, licantropos boêmios às vésperas das núpcias do diabo, aparições atormentadas a procura de algum alento, nereidas sanguinárias que espreitam rios e lagos, sombras famintas que se alimentam de sangue, alienígenas curiosos e seus assombrosos experimentos, divindades cruéis, demônios narcisistas e psicopatas medonhos que mantém estreito entendimento com aquele bairro sinistro que ladeia a assombrada Comarca de Tebraria.
Através das sendas que conduzem às Montanhas da Tristeza de Deus e as margens do rio pantanoso que deságua na Baia das Sepulturas; entre as trilhas desairosas do Jardim dos Suicidas e a grande Necrópole que ladeia a Estrada do Chão Duro está o mal afamado Bairro da Cripta.

Resenha

Estou fascinada pelo talento do autor! Quando M. R. Terci me convidou a conhecer seu livro, sabia que poderia esperar uma obra distinta, mas não estava preparada para o que encontrei nas suas páginas.

As Elegias é o primeiro volume da série O Bairro da Cripta e reúne 24 contos de gênero horror ambientados no século XIX e primeira metade do século XX, contextualizados na cidade fictícia de Tebraria, no interior paulista. Cada conto é narrado em primeira ou terceira pessoa, e achei admirável o cuidado do autor em preservar a linguagem da época (especialmente quando o narrador era o próprio personagem).


O mais incrível na narrativa de M. R. Terci é a ousadia em trazer como protagonistas tão diferentes personalidades. Eu me senti íntima do velho Ari, o coveiro do Bairro da Cripta, tanto quanto do Senhor Empalhador, o taxidermista. Temi pela vida do signor Alberto, o bêbado que apenas desejava pregar uma peça, tanto quanto pela vida de Leon, o corajoso lenhador que enfrentava uma temível fera sobrenatural. Cada personagem, ao seu modo especial e singular, levou um pedaço de mim durante a leitura. Estive com eles, em cada conto, como uma testemunha das suas inacreditáveis experiências e senti dificuldade de me desvencilhar depois que suas histórias findavam. Talvez por isso minha leitura foi lenta. Ouso dizer que é impossível ler As Elegias de modo acelerado, a despeito da pouca quantidade de páginas, porque cada conto é um convite ao leitor para deixar-se imergir à realidade de um novo personagem.

Estimava-se em mais de trinta mil os habitantes que transitavam pelo Bairro da Cripta. Destes, o Censo atribuía vida a apenas dez mil. (p. 22)

Outro aspecto que revela o assombroso talento do autor é a genialidade em criar O Bairro da Cripta, um lugar fictício que serve de palco para as mais bizarras criaturas. Ao usar o mesmo contexto, os contos se entrelaçam e – quando encerramos a última página da obra – podemos dizer ter transitado por todos os recantos sombrios da cidade de Tebraria. Nesse entrelace, um personagem que outrora fora protagonista, ocasionalmente torna-se coadjuvante de um conto. Gostei muito dessa característica!


O talento de M. R. Terci não se limita apenas à sua envolvente narrativa e à sua genialidade na criação do Bairro da Cripta, mas encontra sua máxima revelação nos seres funestos que cada conto apresenta. Esqueçam o nosso folclore tradicional. M. R. Terci inova as faces do horror em solo brasileiro e somos constantemente surpreendidos em seu livro. Foi muito agradável começar a leitura de um novo conto mantendo altas expectativas, porque os que o antecederam não decepcionaram. Há uma passagem no livro que, para mim, resume o modo como me senti lendo As Elegias:

A palavra que os homens descreviam como terror era muito pequena, muito frágil e limitada se comparada ao conteúdo daqueles contos. Havia naquele imenso caldeirão de bruxas, naqueles personagens que repentinamente se apartaram do resto da raça humana, uma nuance de verossimilhança que provocava o subconsciente do leitor, incitava-o a ver além dos ombros altos, como transeuntes em redor dos trilhos onde uma locomotiva desgovernada descarrilara. Os corpos espalhados pelo caminho eram vírgulas, pontos, interrogações e exclamações. (p. 128)

Eu preciso esclarecer a vocês que As Elegias não é um livro apenas para os fãs do gênero horror. Posso afirmar de modo resoluto, porque não me considero fã desse gênero. Essa é uma obra para quem aprecia uma narrativa envolvente, centrada na experiência subjetiva dos personagens mediante as possibilidades que o contexto sobrenatural criado pelo autor permite. Essa é uma obra que traz o melhor da narrativa fantástica, em uma linguagem que pode soar rebuscada, mas que vem apenas oferecer maior verossimilhança aos contos. Essa é uma obra que recomendo sem temor, certa de que qualquer leitor poderá apreciá-la se estiver aberto ao desconforto do desconhecido.

Como aspectos frágeis, destaco a existência de alguns erros de revisão, a previsibilidade do desfecho de alguns contos e a linguagem rebuscada que pode desanimar alguns leitores. A capa, confesso, não me agrada (apreciei muito mais a capa do segundo volume). Em conjunto, nenhuma dessas fragilidades reduz a qualidade e a empolgante leitura da obra, por isso, não foram relevantes para minha avaliação. Tenho, orgulhosamente, O Bairro da Cripta – As Elegias (Tomo I) entre meus livros nacionais favoritos! E estou ansiosa para ler a continuação.

Quando M. R. Terci me enviou seu livro, achei muito legal a carta que o acompanhou! Esses elementos paratextuais – presentes no site do autor, no modo como me contatou e na sua carta – me conquistaram. Confiram:


Aos que já leram ou lerão As Elegias, compartilho os meus contos favoritos ~: Miss Hale, O Velho Ari, A Noiva da Cripta, O Toureiro, O Jardim dos Suicidas, A Tempestade, O Lenhador, Oito Tiros, O Cronista de um Tempo Passado, O Homem que Não Sabia Morrer, Abigail, O Grande Deus das Encruzilhadas e Dezidério.

*Agradeço o carinho do autor em me permitir prestigiar o seu talento nesse livro.*

Avaliação:

Compartilho os meus quotes favoritos:

Miss Hale traz um outono de folhas mortas nos olhos baços e lacrimosos. Seus lábios murchos de anciã nada falam, entretanto as rugas de seu rosto contam-me histórias antigas que empalidecem as que agora me fazem lembrar os dias felizes que jamais tardam na memória. (p. 9-10)

Poucas vezes na vida e com sorte, mui além dela, haverá oportunidade de nos confrontarmos com o indescritível, algo fora do alcance de qualquer forma de expressão escrita ou da pronúncia fonada como a conhecemos (…). (p. 11)

Boataria gera lendas, lendas parem heróis. (p. 22)

O assombro das trevas, sempre munido de dentes ávidos, é por demais carente do conforto do sangue quente e da carne macia. Convém, sempre, evitar-lhe o caminho. (p. 24)

Esse e mais dez crimes foram-lhe imputados durante seu julgamento. Se declarou louco diante do juiz e seus pares. E quem iria contradizê-lo? A primeira de suas vítimas era a única pessoa que o havia amado em vida. (p. 27)

Os pais de Abigail estavam preocupados.
(…) Em princípio eles trataram do problema com a discplicência natural dos afortunados. O modo de proceder da garotinha era jocoso. Costumavam dizer que Abigail – tão ausente de tudo e de todos –, imersa na imaterialidade do sonhar, não tinha um amigo imaginário. O amigo imaginário é que tinha uma Abigail. (p. 137)

Diz-me o caminho para chegar a ti.
Uma palavra basta. Ela será o fruto que a minha fome pede.
Eu posso me fazer alheia ao tempo e a todas as promessas que me despem de vida, mas não tardarei a responder seu chamado. (p. 155)


Interessou-se pelo livro?

Se
vocês apreciam o gênero horror, recomendo assistir ao Book Trailer abaixo. A trilha sonora ficou ótima e as imagens representam claramente o clima do livro (é de arrepiar)


Conheça o segundo volume:

pouco tempo, o segundo volume de O Bairro da Cripta foi lançado! Na minha opinião, a capa ficou melhor do que a anterior. Confiram:


Título: O Bairro da Cripta – Os Epitáfios (Tomo II)
Autor: M. R. Terci
Editora: LP-Books (2015, 164 páginas)
Sinopse: Venham comigo. Vamos por esta estrada. Pelas colinas escarpadas, lugar de vento frio que faz gelar a alma de toda gente. Em redor de imenso e desfolhado bosque de ipês, dar-vos-ei conhecimento daquilo que espreita por este caminho. Vou dizer-vos algo que não querem ouvir. Vou mostrar onde está escuro.

Epitáfios é o segundo tomo da série O Bairro da Cripta, publicada pela LP-Books. Uma ode ao ossuário composta por 15 contos que relocam os hórridos horrores da Era Vitoriana para as cercanias da provinciana Tebraria, no interior do Estado de São Paulo.
Por lá, o centenário cemitério se confunde, sobremodo, com as decrépitas e mal iluminadas ruas do Bairro da Cripta, onde toda gente sabe, a morte edificou seu Majestoso Trono de levianas mortandades. Nessas paragens, a cabeça do rei da peste acoita-se do frio noturno sob a Coroa de Vermes; o escriba do diabo exige do passante incauto a vermelha rubrica no Livro do Fim dos Dias; um atemporal mal deambula, sob a sombra de modernas edificações, ao escrutínio de um antigo Diário; a voz conspurcadora, imersa na mais profunda treva de uma mansão, inunda o coração humano de dizeres de morte; espíritos frios e cruéis, de indevassáveis vontades, exigem habitar corpos outros de estouvados cidadãos; corredores que se aprofundam para o seio da terra, terrores indescritíveis e tesouros incalculáveis descansam nas catacumbas sob o velho sepulcrário.
Vinde, com passos de morto trilhar, através das mais aflitivas emoções do espírito humano – OH, heróis! – descei às limosas escadas, percorrei os estreitos e apavorantes caminhos do mal afamado Bairro da Cripta.

Em
breve será lançado o primeiro volume da segunda série literária de M. R. Terci, intitulada Caídos. A capa já foi revelada (e está maravilhosa!):


~Que tal assistir ao Book Trailer?~

Saibam mais: Caídos narra, através das confissões do bruxo Emanuel, capturado na Baia Cabrália em agosto de 1591, a saga do Trirregno das Areias Eternas, revelando um universo de magia e terror nunca antes vislumbrado por vistas humanas e que influenciou secretamente a colonização do Novo Mundo.


Conheçam o autor:
M. R. Terci é escritor, poeta e advogado especializado em Direito Internacional com ênfase na União Europeia e Mercosul.
Nascido em Descalvado-SP, em 1973, busca honrar aos Deuses da Criação Literária enfrentando, diariamente, o desafio da página em branco, devotando sua energia ao solitário trabalho de traçar destinos através dos meandros do sobrenatural.
É o criador de mais duas séries: Caídos e as Crônicas de Pólvora e Sangue dos Imperiais de Gran Abuelo, ambas com previsão de lançamento para 2015.
Gostaram da resenha?
Comentem se conheciam O Bairro da Cripta ou se pretendem conhecê-lo! Logo apresentarei para vocês M. R. Terci como autor parceiro do blog, com mais informações.

34 comentários:

  1. OiiêÊ!!
    nossa os livros do autor parece ser bem legais, já gostei da resenha e da sinopse ai quando eu fui ler as outras eu fiquei sem palavras, amei as capas, espero poder comprar
    Bjks

    Passa Lá: http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Francine, conseguiu o impossível. Me deixou sem palavras. O B R I G A D O ! sensação: DE DEVER CUMPRIDO.

    ResponderExcluir
  3. Francine, parabéns pela resenha maravilhosa. A história parece ser interessantíssima, gosto de livros assim, que nos dão a sensação de sermos próximos dos personagens e nos envolve na história.
    http://www.leituradascinco.com/2015/05/resenhas-cidades-de-papel-de-john-green.html

    ResponderExcluir
  4. O gênero horror me atrai. Mas, em relação ao livro, fiquei com um pouco de receio por causa da linguagem. E não foi só por você ter ressaltada, mas pelo o que li nos quotes. Não sei, talvez estilisticamente dê mais aprofundamento aos contos.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Fran.

    Confesso que terror não é um gênero que me agrade, mas as vezes arrisco alguma leitura. Mas essa obra apesar de todos os elogios eu não arriscarei a leitura. Por saber que será uma leitura mais lenta e por ser escrita de forma rebuscada. Quem sabe algum outro projeto do autor eu não arrisque.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books

    ResponderExcluir
  6. Gente, fiquei :0 , nossa, suas palavras me encantaram, adorei a sua resenha, principalmente o que disse em relação ao livro e sua história, parece livro muito bom, e já estou curioso para lê-lo! Gente, já amei! Sério! Adorei sua resenha e , principalmente, o livro!!

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Sou fã do gênero de horror e já quero ler, principalmente pelo que você disse com relação à narrativa envolvente e o contexto sobrenatural criado pelo autor.
    Fiquei bastante curiosa para conhecer a obra!
    Ótima resenha!
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá; eu não sou muito fã do gênero (#medrosa) mas, pela sua (ótima) resenha, até que arriscaria a leitura. Gostei da ambientação e de alguns contos terem interligação com outros.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi. Não conhecia o livro e fiquei muito interessada. Preservar a linguagem da época é fundamental para uma obra ser boa, algumas características precisam ser preservadas. Seria como fazer feijoada sem feijão, né é feijoada... A capa, eu achei bem bacana e sobre os termos rebuscados, acredito ser essencial, caso contrário, como o leitor melhora seu vocabulários? Menina, preciso desse livro para ontem.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Amiga eu gostei bastante do desenvolvimento da sua resenha como sempre, até porque é sempre muito bem explicada e também tem o seu ponto de vista que me fascina, mas tipo, eu tenho que te confessar que sou extremamente medrosa, não sou do tipo que lê livros de terror. Eu antigamente até via filmes de terror sabe? Hoje em dia eu nem chego perto. Eu acho que é fase também viu?! Mas tem histórias que sào boas mesmo e gostaria até de conhecer, mas não tenho coragem hahahaaha...Mas espero que seus leitores que curtam tenham a chance de ler esse livro, porque achei bastante SINISTRO =x

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-como-ser-popular.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga tem resenhas novas no meu blog

      http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-boa-noite-estranho.html

      http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-fada-e-o-bruxo.html

      Quando puder passa por lá e me chama para sua proxima postagem ok?

      Excluir
  11. Oiii Fran!
    Sua resenha está muito bem escrita, sério! Parabéns! Queria saber me expressar assim. hahaha Sempre acho minhas resenhas meio medíocres e com vocabulário pobre :P
    Sobre o livro, bem, eu adoro! contos, então óbvio que já fiquei interessada! Ainda mais por se tratar de um tema mais assustador <3 Que bacana que o autor criou algo tão fantástico.
    Uma pena a revisão, hein? Perco um pouco o interesse quando são muitos erros, mas tento relevar.
    beijo
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Olá Fran!
    Amei a resenha como sempre. :3
    Eu não sou muito chegada em terror, mas as suas descrições acerca da obra me chamaram bastante atenção.
    E eu amei a foto do autor com trajes mais antigos. haha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi Francine, tudo bem?
    Até gosto de horror, mas tenho medo e fico muito tensa, então leio pouquíssimos atualmente.
    Gostei da premissa do livro, a forma que o autor trás personagens de personalidades diversas e principalmente a narrativa envolvente chamou minha atenção.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  14. Oi Francine, tudo bem?
    Uau, fiquei super curiosa com esse livro! Sou apaixonada por histórias de horror, terror, mistério e suspense!
    Achei a premissa do livro bem interessante e os contos parecem ser realmente incríveis!
    Gostei do fato dos personagens parecerem tão envolventes....

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  16. Oi,
    Logo de cara imaginei um livro de terror e não quero ler rs, mas comecei a ler a resenha e fui notando como estava enganada em encaixa somente nesse gênero e já te um pré opinião, pelo que vi é uma leitura envolvente que deixa o leitor de certa forma encantado.
    Parabéns pela resenha
    Beijos



    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  17. Oie! Tudo bem?

    Cada vez que entro aqui, me encanto com o capricho dos seus posts. Parabéns! =) Dá orgulho de ler. Então, conheço uma pessoa que com certeza vai amar esse obra! Minha resenhista, rsrs. Vou indicar pra ela. Ela ADORA o gênero! E dá pra ler rapidinho, porque pelo que vi é bem curtinho né...

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  18. Oi Fran, tudo bem?

    Menina. Esse é o livro que eu procuro. Preciso do contato do autor, porque quero ler pra ontem. Sabe outro livro que tem a mesma pegada? Fantasmas do Século XX, do Joe Hill. Vale a pena conferir!

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. M.Terci é o poeta do horror nacional. Sua leitura peculiar me agrada nessas noites de inverno regadas a vinho ou senão umas boas doses de café para provocar ainda mais a insônia e o medo.
    Já está na lista.

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Tem tant coisa que eu amo nesse livro que uau. Amo contos, terror e ainda mais quando ambientado no passado. Acredita que eu não conheço nenhuma obra do autor? Fiquei chocada com o quanto é vasto nossa mundinho literário nacional e o quanto eu ainda o desconheço.
    Eu estou lendo agora o demonologista, que tb é de terror.
    Enfim, pretendo adquirir quando possivel esse livro, obrigada pela resenha

    ResponderExcluir
  22. Oi Francine. Gostei do blog, parabéns! Muito fofo! Vou acompanhar diariamente. Não conheço o autor, nem o livro resenhado, mas conheço a editora. Meu namorado publicou uma vez com eles e sabemos bem como são "alguns erros de revisão. Só pra confirmar, quem é o revisor? (certeza que é L.França) dããã Hahaha! O gênero não é dos meus preferidos, mas a maneira como vc descreveu, tornou irresistível! Dei uma boa fuçada no face do autor e nos filminhos disponíveis... o garoto é esforçado hahaha! Muito bom! Vou procurar nas livrarias! beijinhos e até aproxima : )

    ResponderExcluir
  23. Não conhecia o livro e, apaixonada por histórias de horror que sou, fiquei mega interessada na leitura. É sempre bom conhecer bons nacionais do gênero, pois não são muitos, ou são e eu que não conheço? rsrs. AH, amo quando os autores criam seu próprio cenário, um ligar fictício, dá ainda mais magia à obra.
    Adorei sua resenha, me deixou super empolgada para conhecer o livro.

    Beijos
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Boa noite! Gostei! Já tava na hora de aparecer algum trabalho DIGNO dentro do horror! Já tava passando da hora, isso sim! AMO esse tipo de contexto! Andei vendo livro sem um pingo de amor pela linguagem e enredo! Esse, pelo visto, vai deixar marcas em meus olhos! Já estou desassossegada! kkkkkk Meus cumprimentos ao escritor! Quero ver, hein!? Não vai deixar essa bola cair! Comprei pelo site da editora e são 7 dias para chegada! Jisuis! Aja walking dead até lá!

    ResponderExcluir
  25. Parabéns Francine, foram poucas vezes em que encontrei uma resenha tão detalhada.Praticamente me senti lendo o livro, principalmente ao ler seus quotes favoritos, esse tipo de linguagem de época me agrada muito,afinal de contas vocabulário é para aumentar não diminuir. Não tem jeito, vou ter que comprar esse!!!
    Você mencionou outros dois lançamentos do autor, vou esperar pelas resenhas.
    Virei fã do blog, tenho certeza que do escritor também! Bjs

    ResponderExcluir
  26. Olá Francine,

    Fiquei conhecendo esse livro e o autor aqui, não curto o gênero terror/horror, o livro me fez lembrar do Zé do Caixão...kkk.. sou mais um bom suspense, mas sua resenha me deixou curioso e gosto de ver a literatura nacional se destacar em gêneros diferentes....bjs.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Oie, tudo bem?

    Então, não sei se eu gostei muito do estilo do livro.
    Gosto de histórias com todos esses seres citados na sua resenha mas, pelo que eu entendi parecem mais histórias folclóricas do que contos.
    Não sei, posso ter entendido completamente errado.
    Sucesso ao autor de qualquer forma.
    Estou seguindo seu blog.
    ;*

    www.saladadelivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Olá.!!
    Apesar de não gostar de terror , essa resenha me conquistou .
    Sendo vários persongens , fiquei curiosa com cada um
    Não conhecia o autor , tbm não sou fã de contos mas fiquei curiosa
    http://malucaspor-romances.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  29. Meus cumprimentos! Excelente resenha! No ponto!
    Dá vontade de reler o livro. Comprei em dezembro, depois de topar com a propaganda de natal (muito bem humorada) que o escritor disponibilizou no facebook. Daí para frente, virei tiete de carteirinha do Bairro! A mulher na janela ainda me apavora. Agora to aguardando pelo livro dois da série. Fiz o pedido, mas haja paciência! Aconselho a quem quiser conhecer melhor a obra e o escritor, sem precisar desembolsar centavo sequer, a pesquisar no site da série e nas páginas do facebook (FOI ASSIM QUE EU FIZ) ou pelo menos leiam com mais atenção a resenha. Meu conselho, façam isso antes de exteriorizar opinião. Tenho certeza de que irão se surpreender.

    https://www.facebook.com/estevao.barroco.5

    ResponderExcluir
  30. Confesso que achei que não ia ser um livro bom. Mas depois da sua resenha fiquei curiosa para ler o livro.
    Eu gosto de contos de horror/terror, mas depois fico morrendo de medo kkk
    Vou tentar ler o livro um dia.
    bjs bjs

    ResponderExcluir
  31. A sugestão do Estevão é válida! De maneira que, eu disponibilizei, no BLOG DO BAIRRO DA CRIPTA, material bacana. Na seção BREVE tem 2 contos completos de As Elegias e Os Epitáfios, mais trechos inéditos de Exéquias, Endechas e Epicédios, TODOS disponibilizados para leitura! SEJAM BEM VINDOS AO BAIRRO!

    http://mrterci.wix.com/bairrodacripta#!blog/c1dwb

    ResponderExcluir
  32. Oi, Fran! Vou ficar de olho nesse livro.
    Como já comentei, estou tentando expandir meus gêneros e leituras! Percebi a linguagem rebuscada do século passado que lhe incomodou, acredito que será um tanto incomodo, porém as leituras que valem a pena, o são!
    Confesso que não assistirei ao booktrailer por motivos de: aquele boneco logo de cara já me desencorajou. Não assisto coisas assim deliberadamente HAHAHA (ai fica a pergunta: mas vou ler?)

    Beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Que tal deixar seu comentário?
Fico sempre muito feliz ao ler as opiniões dos nossos leitores. Se tiver um blog, informe, pois será um prazer retribuir sua visita.

Posts Relacionados
Posts Relacionados